my best wishes always chase you like a shadow. best of luck

terça-feira, 4 de agosto de 2015

TeCÁ

            Apetece escrever sobre alguém de quem se gosta e desta vida terrena se libertou. 
       É sempre sobre o amor  os ensinamentos, neste caso também a honra que sentimos ao gostarmos de alguém que muitos mais gostam e também amam.
        Existem seres que são para além do bem e do mal uma referência de devoção e de respeito pelas causas que defendem e acreditam, pela dignidade  que transmitem e pela humanidade com que actuam.
       Ao escrever sobre o Tio Tecá Bello Moraes apetece ir lá ter com ele e por fim ter uma conversa esclarecedora sobre muitos dogmas sem nunca esquecer de lhe agradecer o facto de nos ter conhecido amparado educado e privilegiado como jovens e homens em o ter ouvido e visto ser um exemplo da grande educação, da Ética e da coragem próprios dos génios em trânsito ou seja dos grandes Seres Humanos.
       Os filhos e afilhados que o Tio influenciou foram milhares, muitos copiam trejeitos da sua categoria natural, fazem bem pois copiam alguém genuíno de fino trato e bom gosto.
       Podem-se escrever inúmeros linhas sobre as suas histórias, ficcionar as suas aventuras, criar um mito, tudo isso seria de menos se formos justos. Este Homem é um Senhor  e um líder justo, num Portugal cheio de mediocridade sobressaía com facilidade como um verdadeiro Cavaleiro de Cristo e Cavalheiro. Um Homem Bom. 
            A Família amiga que me perdoe mas a família do Tio Tecá somos todos nós, não presumo da dor intrínseca do sangue que muito sentimos, mas da imensa admiração e amor que julgo todos sentirmos eternamente por um Senhor cuja categoria coragem e saber nos tocou e nos servirá de referência para sempre. Aleluia TeCá. 
           

             

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Olá Raul

Eu sei que o tempo te foi apertado...nada que já não soubesses. Lembro-me das lições de literatura, ensaísmo  filosofia, poesia e Arte no geral que ouvia fascinado junto com o António Bagorro, o teu grande amigo cujas conversas eu escutava maravilhado sugando-as como uma esponja seca que mais não é que o retrato intelectual dum adolescente de dezassete anos no meio de um Alentejo ante 25 de Abril, durante e pós. 
A mudança e a esperança foram tónicos para entusiasmos e fantasias, depois vinham as paixões, a vida e a poesia que lias nela.
Como pessoa és um ser imortal, de uma simpatia irradiante de uma independência de pensamento que motivava orgulho nos teus amigos e talvez algum tremor naqueles que movidos por sentimentos pouco humanos  e mais primários, seriam de uma maneira ou de outra um empecilho para todos os livre-pensadores.
Sofreste à minha frente por amores, paixões e frustrações, sempre ao som de muito boa musica da responsabilidade quase sempre do António Bagorro, outro  gémeo teu na capacidade intelectual, na elegância do tom, na medição das palavras, na simpatia irradiante, no coração aberto aos problemas de todos os demais e nas felicidades partilhadas.
És um grande Ser e por tal brilhas como se do meu sangue fosses e de um afecto paterno e materno se tratasse...fico com o sonho, a saudade e a beleza que és, no meio da natureza deste planeta e muito acima daquilo que na generalidade chamamos de natureza humana.
Glória na continuação do teu caminho, obrigado por tudo, não sei mais o que escrever pois conseguiste entristecer um mundo desta feita não com as tuas prosas e poesia magníficas mas com a viagem. 
Nestes estados melancólicos as palavras podem ser vãs, pensarei sempre em ti até nos encontrarmos da mesma maneira que nos encontramos cá, sem coincidências nem acasos...foi e é uma honra e orgulho ter cruzado contigo e teres-me deixado partilhar algumas pequenas aventuras também elas repasto de histórias no mínimo surrealistas mas de grande nível.
Sim chama-se Raul Coias Dias e é um génio em transição.